Política monetária com cautela, perseverança e serenidade

SABE

Blog

voltar

Política monetária com cautela, perseverança e serenidade

11/02/2019

“A não ser que o cenário ou o mercado mudem substancialmente, a Selic deve seguir em 6,5% em 2019”

Luciano Sobral – Economista do Santander

Para Tony Volpon, economista-chefe do UBS no Brasil é “estranho o momento da economia brasileira. Quando vemos grande volatilidade nas bolsas devido a uma variedade de riscos políticos e uma inesperada desaceleração da economia global, a B3 desponta como uma das melhores bolsas do mundo. Mas parece difícil justificar essa exuberância olhando para a economia real:

O crescimento de 2018 deve fechar ao redor de 1,3%, muito abaixo das taxas esperadas no início daquele ano;

- A produção industrial de nov/2018 continua sem alento, caindo ao redor de 1% na comparação anual;

- A taxa de desemprego ainda se acha acima dos estratosféricos 12%;

- A inflação fechou 2018 bem abaixo da meta em 3,75%, com a média dos seus núcleos ainda mais baixos, em 3,2%. Não por acaso, então, há um crescente clamor para mais uma rodada de corte de juros pelo BC”. (Fonte: Valor).

Segundo o economista, do ponto de vista de hoje pode-se argumentar que o BC deveria ter tido uma postura mais agressiva, e, dadas as perspectivas positivas que hoje temos, seria incorrer o erro ao contrário afrouxar a política monetária neste momento.

Nesta linha de pensamento, o BC manteve a taxa de juros no seu piso histórico, de 6,5%, e indicou que o quadro para a inflação ficou mais benigno, apesar de seguir vendo assimetria em seu balanço de riscos. O Copom avalia que “cautela, serenidade e perseverança” nas decisões de política monetária, inclusive diante de cenários voláteis, têm sido úteis na perseguição de seu objetivo precípuo de manter a trajetória da inflação em direção às metas.

Desempenho do Ibovespa

Em 2019 o Ibovespa valorizou 8,29%, cerca de 3 pontos abaixo da variação da semana anterior, caracterizando a forte volatilidade no ano, principalmente por conta da expectativa da aprovação tão necessária da Reforma da Previdência.

Nos últimos 21 pregões o Ibovespa subiu 1,85 %, queda de 5,53 pontos percentuais em relação à última semana, mas ainda com tendência de alta, como mostrado no gráfico abaixo. A forte volatilidade fez com que o índice fechasse a semana encerrada em 08/fev com 95.343 pontos, tendo variação negativa de 2,57% nesse breve período.

A tendência primária do Ibovespa também é de alta. Em todos os intervalos de tempo observados na tabela a seguir, o Ibovespa superou a renda fixa, sinalizando um novo cenário para os investimentos em nosso país.

Veja a seguir o desempenho da bolsa brasileira, medido pelo Ibovespa em pontos, em diferentes intervalos de tempo.


Confirmando a expectativa do mercado, com a SELIC baixa no patamar de 6,5% ao ano, os investidores terão que buscar alternativas com maior risco, caso queiram obter retornos melhores. Para proteger o patrimônio, a renda fixa continua sendo uma boa alternativa, mas para ganhar dinheiro de verdade as ações são a melhor opção.

Como lembra o economista Lionel Robbins, “expectativas equivocadas estimulam investimentos inapropriados”. Dentre as alternativas de aplicações com maior risco, as Ações de companhias com qualidade de gestão e desempenho consistente no longo prazo, as chamadas “SABE Campeãs”, trazem excelentes oportunidades de investimentos. Quem não quiser gerenciar risco vai ter que se contentar com 0,50% de retorno real ao mês! A mudança do paradigma Renda Fixa X Renda Variável, na nossa opinião, é uma questão de tempo...

O conjunto de estatísticas mostrado ajuda o leitor a perceber os movimentos cíclicos da bolsa brasileira, em especial sobre os que têm (e os que não têm) fundamento técnico. Confira a evolução do “termômetro da bolsa” no gráfico abaixo e perceba agora a semelhança entre as tendências de alta e as volatilidades do Ibovespa no longo prazo (quase cinco anos) e nos últimos 21 pregões:


Veja agora o que o SABE Alerta da semana passada publicou sobre o Desempenho comparativo das Carteiras: Valor X SABE Campeãs, tendo como base de referência o mês de Jan/2019.

Desempenho Carteiras: Valor X SABE Campeãs – Jan/2019


A SABE não pretende nem se dispõe a ensinar/instruir como investir no mercado de ações nem, muito menos, quais e quando comprar/vender ações: para isso recomendamos consultar a sua Corretora. SABE é o suporte imprescindível para quem já atua neste mercado ou já tomou a decisão de nele participar.

Promo SABE Invest


O SABE Alerta é apenas a “ponta de um iceberg” quando comparado ao acervo de informações que o Big Data SABE tem à disposição de investidores e gestores de investimentos em ações: são 120.000 demonstrações financeiras padronizadas de TODAS as companhias abertas desde 1994 e os preços de suas ações ajustadas dos últimos cinco anos.

Conheça o SABE Intelligence, a maneira revolucionária de selecionar empresas de desempenho destacado com a inteligência artificial e tomar decisões de investimentos em ações com maior probabilidade de acerto.

Luiz Guilherme Dias
SABE | Inteligência em Ações da Bolsa

Comentários