Otimismo X Pessimismo: quem ganha?

SABE

Blog

voltar

Otimismo X Pessimismo: quem ganha?

20/01/2020

“Como esperado pelos analistas financeiros, a queda da inflação com a consequente redução da taxa de juros, teve forte impacto na alocação de recursos via mercado de capitais. A queda dos juros vem afetando o mercado em diferentes partes do mundo, com alguns países ocidentais convivendo com taxas de juros negativas, como é o caso da Alemanha, França, Japão e Bélgica”

Roberto Teixeira da Costa - Economista

Num momento em que as incertezas são cada vez mais certas, convém refletir sobre citações de ilustres personagens sobre a constante “queda de braço” otimismo versus pessimismo:

Sobre otimismo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou que “A política é a arte do necessário. Se nos restringirmos ao possível, nada muda”. Já Winston Churchill, o ex-ministro britânico, dizia que “O sucesso é a habilidade de ir de derrota em derrota sem perder o entusiasmo”.

Com relação ao pessimismo, o dramaturgo irlandês Oscar Wilde, definiu que “O pessimista é uma pessoa que, podendo escolher entre dois males, prefere ambos”. E o notável jornalista Assis Chateaubriand, afirmou que “O pessimismo é, entre nós, uma psicose coletiva. Tendo inventado que Deus é brasileiro, entramos a descansar por conta desse parentesco”.

Deixo assim com nosso querido leitor a escolha entre as duas opções divergentes, mas não vale dizer: Sou realista !!

A Semana que passou

O Ibovespa fechou a semana encerrada em 17 de janeiro, renovando nova máxima histórica, com 118.478 pontos, alta de 127 pontos (ou 0,11 % em moeda local) em relação à máxima de 118.351 pontos observada em 2 de janeiro de 2020.

Em 2019 o Ibovespa subiu 31,6% , saindo de 87.887 pontos em dezembro de 2018 para 115.645 pontos no fechamento de 30/12/2019. O Índice das Small Caps (SMLL) terminou o ano com alta de 58,2% e o Índice Dividendos (IDIV) fechou o ano com alta de 45,2%, ambos bem acima do Ibovespa. Percebemos assim que a forte demanda dos brasileiros por ativos de mais risco foi um motor para as altas.

A tendência primária (longo prazo) do Ibovespa continua em alta. Nos últimos 21 pregões (curtíssimo prazo) a tendência se continua em alta, refletindo as expectativas de aceleração de retomada da economia.

A seguir um clipping de notícias julgadas relevantes por nossa equipe, visando auxiliar o leitor a compreender o permanente “quebra-cabeças” do mercado de capitais brasileiro. Na sequência mostramos a evolução do desempenho do Ibovespa em diferentes intervalos de tempo.


Desempenho do Ibovespa

Veja a seguir o desempenho da bolsa brasileira, medido pelo Ibovespa em pontos, em diferentes intervalos de tempo. Observe que a variação do índice bate, neste momento, a rentabilidade da renda fixa em TODOS os períodos observados.


Com o corte da SELIC, para 4,5% ao ano com possibilidade de nova redução em 2020, como desejado por grande parte do mercado, os investidores terão que buscar alternativas com maior risco, caso queiram obter retornos melhores. Para proteger o patrimônio, a renda fixa continua sendo uma boa alternativa, mas para ganhar dinheiro “de verdade” as ações são a melhor opção.

Dentre as alternativas de aplicações com maior risco, as Ações de companhias com qualidade de gestão e desempenho consistente no longo prazo, as chamadas “SABE Campeãs”, trazem excelentes oportunidades de investimentos. Quem não quiser gerenciar risco vai ter que se contentar com algo tipo 0,40% de retorno real ao mês! A mudança do paradigma Renda Fixa X Renda Variável, já se faz sentir!

O conjunto de estatísticas mostrado ajuda o leitor a perceber os movimentos cíclicos da bolsa brasileira, em especial sobre os que têm (e os que não têm) fundamento técnico. Confira a evolução do “termômetro da bolsa” no gráfico abaixo e perceba as diferenças entre as tendências (linha pontilhada em amarelo) e as volatilidades do Ibovespa no longo prazo (cinco anos) e nos últimos 21 pregões:


A SABE não pretende nem se dispõe a ensinar/instruir como investir no mercado de ações nem, muito menos, quais e quando comprar/vender ações: para isso recomendamos consultar a sua Corretora. SABE é o suporte imprescindível para quem já atua neste mercado ou já tomou a decisão de nele participar.

SABE Intelligence


O SABE Alerta é apenas a “ponta de um iceberg” quando comparado ao acervo de informações que o Big Data SABE tem à disposição de investidores e gestores de investimentos em ações: são 120.000 demonstrações financeiras padronizadas de TODAS as companhias abertas desde 1994 e os preços de suas ações ajustadas dos últimos cinco anos.

Conheça o SABE Intelligence, a maneira revolucionária de selecionar empresas de desempenho destacado com a inteligência artificial e tomar decisões de investimentos em ações com maior probabilidade de acerto.

Luiz Guilherme Dias
SABE | Inteligência em Ações da Bolsa


Comentários