SABE

notícias

Dívidas sobem 9,8% em 2020!!

22/03/2021

Tomando como base a publicação de balanços do ano de 2020 de 179 companhias não financeiras listadas na B3, identificamos um crescimento expressivo de 9,8% das dívidas Líquidas, de R$ 1,99 bilhões para R$ 2,19 bilhões. Excluindo Petrobras e Vale, o aumento sobe pouco para 10,9%.

continue lendo -->

Lucros caem 8,8% em 2020!!

15/03/2021

Tomando como base a publicação de balanços do ano de 2020 de 135 companhias não financeiras listadas na B3, podemos perceber que o segmento de varejo, representado por B2W Digital e Magazine Luiza, cresceu com as vendas no e-commerce, como também que o setor de frigoríficos teve aumento expressivo com os resultados de Minerva, BRF e Marfrig.

continue lendo -->

Quanto vale um mico?

08/03/2021

A ação da Nordon Metalúrgica (NORD3), empresa com atividades paralisadas há duas décadas, está subindo 221% neste ano e valorizou mais de 1.000% nos últimos dois anos!! Com receita de R$ 1,21 milhões no último balanço publicado (9M2020) e prejuízos recorrentes nos últimos 5 anos, a Nordon possui uma dívida líquida de R$ 157 milhões, está com alto grau de insolvência, sem geração de caixa e com passivo a descoberto. Sendo um ‘mico’ no jargão do mercado, resta saber quem vai ficar com ela.

continue lendo -->

Mind the gap

01/03/2021

"Resolvemos nos comparar com o que há de melhor no mercado. E nosso compromisso é de ’mind the gap’: fechar a diferença de performance que nos separa das melhores empresas do mundo", disse Roberto Castello Branco. Nos últimos anos, pagamos R$ 355 bilhões em impostos em diversas esferas do governo. Essa é uma verdadeira contribuição social", argumentou o executivo.

continue lendo -->

Pra que mexer, se está ganhando?

22/02/2021

O nível 2 (N2) de Governança da B3 em que a Petrobras está listada, permite a empresa ofertar ações preferenciais (PN), mas que tenham poder de voto em situações críticas como fusões e aquisições. A mudança de comando deveria ser considerada situação crítica, abrindo caminho para uma discussão com a participação dos minoritários. Para reduzir a interferência do Governo, um outro caminho seria a privatização, para que a companhia pudesse seguir as melhores práticas de governança, que por enquanto nada mais é que “um sonho numa noite de verão”.

continue lendo -->

BC autônomo?

15/02/2021

Com a autonomia aprovada, o BC terá 4 objetivos, sendo a meta fundamental a estabilidade de preços. Adicionalmente terá de zelar pela estabilidade e pela eficiência do sistema financeiro, suavizar as flutuações do nível de atividade econômica e fomentar o pleno emprego. Para o presidente do BC, o “fomento ao emprego” pode possibilitar a governos desenvolvimentistas abrir mão do controle dos preços. Somos de opinião que, se isto ocorrer, a autonomia fica ameaçada.

continue lendo -->

Pipeline de IPOs bate recorde

08/02/2021

Em 8 dos últimos 17 anos, não houve nenhuma listagem em fevereiro, enquanto os mais movimentados foram o do ano passado e o de 2006, com 4 listagens em cada ano. Se adicionarmos à conta a oferta pretendida pela rede de laboratórios Dasa, por se tratar de um re-IPO, teremos um total de 13 operações. Se todas saírem, serão cerca de R$ 22 bilhões levantados só nas operações iniciais, sem considerar os follow-ons. Para o ano a previsão é de R$ 160 bi.

continue lendo -->

A revolta das sardinhas

01/02/2021

Atualmente com a força das redes sociais, “day traders” podem se unir e comprar ações de empresas sem qualquer fundamento, forçando a alta dos papéis, pela combinação das chamadas “short squeeze” (espécie de aluguel com aposta na desvalorização), praticando as vendas descobertas e “opções de compra”. Segundo a CVM, na presença de indícios, abrirá processo administrativo sancionador para a apuração das responsabilidades, bem como comunicação ao Ministério Público na esfera penal. A manipulação do mercado é um crime tipificado no art. 27-C da Lei 6.385/76.

continue lendo -->

Será que a Vale vale?

25/01/2021

De acordo com cálculo do governo do Estado de MG, do Ministério Público e da AGU, os danos econômicos causados pelo rompimento da barragem de Brumadinho somam R$ 26,7 bilhões. E outros R$ 27,3 bilhões se referem a perdas por danos morais. O total pedido, portanto, alcança R$ 54 bilhões. A Vale ofereceu R$ 29 bilhões, pouco mais da metade calculada pelos órgãos públicos. A solução do caso segue na justiça aumentando o risco de judicialização.

continue lendo -->

SABE Alerta

Assine e tenha acesso às melhores informações
para fundamentar suas decisões de investimentos em ações.