Serviços Financeiros – FinTechs são ameaça ou oportunidade?

SABE

notícias

voltar

Serviços Financeiros – FinTechs são ameaça ou oportunidade?

05/07/2018

A ascensão das FinTechs continua a revitalizar a jornada dos clientes de serviços financeiros. No entanto, muitas startups perceberam que terão um grande esforço para alcançar sozinhas o sucesso. Com atributos complementares, as FinTechs estão buscando estabelecer uma colaboração simbiótica com as empresas de serviços financeiros tradicionais que uma vez tentaram derrotar, como revela o World FinTech Report 2018, realizado em conjunto pela Capgemini e LinkedIn, com colaboração da Efma. (Fonte: Decision Report). Leia mais...

Na bolsa de valores brasileira o Setor de Serviços Financeiros é composto por 14 companhias abertas. De acordo com os números dos balanços de 1T2018, três companhias deram prejuízo: BR Insurance, CIMS e Tarpon Inv. O setor como um todo apresentou um lucro acumulado no 1T2017 de R$ 2,8 bilhões contra um lucro acumulado no 1T2018 de R$ 2,9 bilhões, com crescimento de 4%.

Três companhias concentram 87% das receitas: SulAmerica com 35%, Porto Seguro com 32% e Cielo com 20%. O total das receitas no 1T2017 foi de R$ 12,6 bilhões contra R$ 13,6 bilhões no 1T2018, representando aumento nominal de 8,6%.

Na comparação dos números dos dois últimos trimestres, o desempenho como um todo das companhias abertas do  Na comparação dos números dos dois últimos trimestres, o desempenho como um todo das companhias abertas do Setor de Serviços Financeiros foi bom, mas prejudicado pelo aumento da dívida: receitas cresceram 9%, EBITDA teve aumento expressivo de 30% e lucros aumentaram 4%. Entretanto, a alavancagem financeira medida pela relação anualizada dívida/EBITDA subiu 86%, atingindo o nível de 6x no 1T2018. Por outro lado, o ROE (retorno do acionista) anualizado caiu 0,6 pontos percentuais, alcançando quase 18% no 1T2018.

Comparação do Desempenho do 1T2018 X 1T2017

A queda mais expressiva de receita foi da Multiplus (-71%). O maior aumento de vendas foi da B3 (+83%). Os aumentos expressivos de EBITDA foram de: SulAmerica (+308%), Porto Seguro (+157%) e B3 (+150%). A maior variação de lucros foi obtida pela Porto Seguro (+29%).

Olhando o nível da relação anualizada dívida/EBITDA, três companhias reduziram seu grau de endividamento: B3 (-75%), Porto Seguro (-49%) e SulAmerica (-75%). Cielo aumentou de forma expressiva seu grau de alavancagem financeira (+414%), chegando a mais de 12 vezes a relação dívida/EBITDA. As companhias que desfrutam de baixo nível de alavancagem são: B3 (1,9x), Multiplus (0,6x), Smiles (0,7x) e Wiz (1,6x). Neste quesito estão em situação mais confortável ainda: BB Seguridade e Part Aliança da Bahia, por terem dívida líquida negativa. Por fim, os retornos do acionista anualizados (ROE) mais expressivos no 1T2018 foram de: Multipus (182%), Wiz (64%) e Smiles (61%).

Destaques Positivos e Negativos

Comparando os números dos balanços do 1T2018 versus 1T2017, o destaque positivo é atribuído à Porto Seguro pelo seu bom desempenho: crescimento da receita (+8%), da geração de caixa medida pelo EBITDA (+157%) e dos lucros (+29%). Além disso, a Porto Seguro teve expressiva redução da alavancagem financeira (-49%) e um crescimento do ROE, de 2 pp, atingindo 14% no 1T2018.

O destaque negativo é atribuído à Atompar, por conta de seu passivo a descoberto nos dois trimestres analisados.

Promo SABE Intelligence


O SABE Alerta é apenas a “ponta de um iceberg” quando comparado ao acervo de informações que o Big Data SABE tem à disposição de investidores e gestores de investimentos em ações. São 120.000 demonstrações financeiras padronizadas de TODAS as companhias abertas desde 1994 que, junto com os preços de suas ações ajustadas dos últimos cinco anos permitem à nossa equipe elaborar relatórios técnicos com informações seguras para investidores e profissionais do mercado.

Acompanhe os artigos técnicos publicados no Blog SABE e conheça o SABE Intelligence, a maneira revolucionária de selecionar empresas saudáveis com a inteligência artificial e tomar decisões de investimentos em ações com maior probabilidade de acerto.

Luiz Guilherme Dias
SABE | Inteligência em Ações da Bolsa

Comentários