Alimentos e Bebidas – Desempenho com gosto amargo

SABE

notícias

voltar

Alimentos e Bebidas – Desempenho com gosto amargo

27/11/2017

São dezessete as companhias abertas do Setor de Alimentos e Bebidas. De acordo com os balanços dos nove primeiros meses de 2017 nove empresas deram lucro, sete deram prejuízo e uma, a JBS, não divulgou seus dados, motivo pelo qual excluímos a empresa deste estudo. Aliás a JBS não divulga seus balanços desde o 1º semestre de 2017, sinalizando não ter interesse em mostrar seus números, mesmo sendo listada no mais alto nível de governança da B3: o Novo Mercado (NM).

Em bolsa há uma forte concentração do setor com apenas três empresas representando 81% das receitas: Ambev, BRF e Marfrig. As receitas nos 9M2016 totalizaram R$ 87,6 bilhões contra R$ 87,7 bilhões nos 9M2017, ficando praticamente estáveis, vale dizer com queda real considerando a inflação do período. A Ambev, líder do setor por vendas, teve um pequeno crescimento nominal de 1,4% nas receitas dos 9M2017.

O desempenho como um todo das companhias do Setor de Alimentos e Bebidas foi péssimo: quedas em receitas, lucros, geração de caixa e retornos com aumento expressivo do endividamento.

Tomando como base as líderes do setor por receitas, observamos quedas expressivas nos lucros dos 9M2017 quando comparados a igual período de 2016: Ambev (-45%), BRF (-520%!!!) e Marfrig (-16%). Ao mesmo tempo essas empresas, exceto a Marfrig, tiveram aumento no grau de alavancagem chegando nos 9M2017 com os seguintes níveis: Ambev (2,03x, embora baixo cresceu 21%) e BRF (12,54x, com crescimento de 49%!!!).

Na comparação dos 9M2016 X 9M2017, o destaque positivo vai para M.DiasBranco que teve crescimento das receitas (5%), do EBITDA (14%), dos lucros (17%), redução expressiva da dívida (-89%), inclusive do grau de alavancagem financeira que nos 9M2017 é praticamente nulo, além do que entregou aos seus acionistas um ROE de quase 10% pelo último balanço.

Os destaques negativos vão para três companhias que enfrentam grave situação de insolvência com prejuízos e passivo a descoberto nos nove primeiros meses de 2016 e 2017. São elas: Frigol Foods, Minupar e Pomifrutas.

O SABE Alerta é apenas a “ponta de um iceberg” quando comparado ao acervo de informações que o Big Data SABE tem à disposição de investidores e gestores de investimentos em ações. São 120.000 demonstrações financeiras padronizadas de TODAS as companhias abertas desde 1994 que, junto com os preços de suas ações ajustadas dos últimos cinco anos, permitem à nossa equipe técnica elaborar os relatórios com informações seguras com suporte da Inteligência Artificial.

Acompanhe os artigos técnicos publicados no Blog SABE e conheça o SABE Intelligence, a maneira revolucionária de tomar decisões de investimentos em ações.

Luiz Guilherme Dias
Equipe SABE - Inteligência em Ações da Bolsa

Comentários